Combatendo o fogo

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Somos seres carregados de emoções,
e muito do nosso bem-estar está diretamente relacionado
com o modo como lidamos com nossos sentimentos,
como nos posicionamos em relação à eles
e com quais atitudes tomamos em determinadas circunstâncias.

Costumo dizer que ante um forte incêndio,
é natural que a primeira atitude das pessoas
seja simplesmente sair correndo a fim de escaparem das chamas.
- Poucos serão os que terão a atitude de combater o fogo.

Ocorre que se você simplesmente correr,
você poderá perder tudo o que tem
e sofrer as consequências do desastre depois.

Mas se você resolver combater o fogo,
mesmo que isto seja arriscado,
você poderá preservar o que tem
e não se sentir tão mal após o ocorrido.

Semelhante coisa ocorre com os problemas.
Há pessoas que simplesmente fogem deles,
e acabam tendo graves prejuízos.

É preciso perceber que atitudes negativas em relação a problemas,
como ser radical demais ou não condicionar um entendimento,
também levam a sofrimentos e prejuízos semelhantes.
- No caso do incêndio, seria como combater fogo
jogando combustível em cima.

Se você decidir encarar seus problemas de frente,
principalmente os de natureza familiar ou emocional,
de modo a tentar combater o fogo,
ao invés de simplesmente fugir ou jogar mais combustível em cima,
você verá como muitas coisas acabam se resolvendo facilmente,
verá que conflitos emocionais ocorrem,
mas que resolvê-los ou não é uma opção sua.

Lembre-se que não somos seres perfeitos,
e que muitos erros que às vezes cometemos têm a intenção de acertar.
E, sobretudo, lembre-se que o verdadeiro amor
não consiste em amar ‘por causa de’,
mas ‘apesar de’.

No final das contas, você verá que amor, perdão e compreensão
continuam sendo os promotores sublimes da paz interior
e da felicidade.

Augusto Branco